// //



WWW.COMPENDIO.COM.BR

Para a CNBB Reforma da Previdência sacrifica os mais pobres

Dentre nossas atuais preocupações, destaca-se a reforma da Previdência – PEC 06/2019 – apresentada pelo Governo para debate e aprovação no Congresso Nacional. Reafirmamos que “o sistema da Previdência Social possui uma intrínseca matriz ética. Ele é criado para a proteção social de pessoas que, por vários motivos, ficam expostas à vulnerabilidade social (idade, enfermidades, acidentes, maternidade…), particularmente as mais pobres. Nenhuma solução para equilibrar um possível déficit pode prescindir de valores ético-sociais e solidários” (Nota da CNBB, março/2017).

Reconhecemos que o sistema da Previdência precisa ser avaliado e, se necessário, adequado à Seguridade Social. Alertamos, no entanto, que as mudanças contidas na PEC 06/2019 sacrificam os mais pobres, penalizam as mulheres e os trabalhadores rurais, punem as pessoas com deficiência e geram desânimo quanto à seguridade social, sobretudo, nos desempregados e nas gerações mais jovens. O discurso de que a reforma corta privilégios precisa deixar claro quais são esses privilégios, quem os possui e qual é a quota de sacrifício dos privilegiados, bem como a forma de combater a sonegação e de cobrar os devedores da Previdência Social. A conta da transição do atual regime para o regime de capitalização, proposto pela reforma, não pode ser paga pelos pobres. Consideramos grave o fato de a PEC 06/2019 transferir da Constituição para leis complementares regras previdenciárias como idades de concessão, carências, formas de cálculo de valores e reajustes, promovendo desconstruções da Constituição Cidadã (1988).

Fonte: CNBB - compendio.com.br, 19/05/2019.




Diferente dos brasileiros franceses reagem a reforma da previdência.

Greve da educação é encerreda no Paraná.

Governador do Paraná apresenta proposta e greve é suspensa para avaliação dos servidores.

Greve dos servidores no Paraná ganha força e reúne 30 mil nas ruas de Curitiba.

Diretores e diretoras de escolas estaduais do núcleo de Loanda/PR manifestam apoio a greve dos servidores em carta aberta.

Cai por terra argumento de Ratinho Junor de que a greve era apenas de sindicalistas.

A DIFERENÇA PRAGMÁTICA ENTRE COVARDES E ACOVARDADOS

Assembleia estadual da APP-Sindicato aprova greve a partir do dia 25 de junho.

Ministétio Público diz que capitalização na previdência é inconstitucional.

Em carta o Papa Francisco se solidariza as duras provas pelas quais o ex presidente Lula tem passado.

Leia mais...
Leia mais...